Como não ir à loucura com dezenas de ferramentas para negócios e marketing?

Ei Queridas(os)!

Como prometido, resolvi tirar um tempinho para falarmos sobre as possibilidades oferecidas pela publicidade, o marketing e as mídias para quem está abrindo um negócio.

Quando precisei desenvolver o escopo de divulgação e captação de clientes para a Yacamoz e o VocêDecoraki, percebi que qualquer pessoa pode ficar louca diante de tantas ferramentas e alternativas. Pra começar, nem sempre sabemos em que apostar... Estratégias digitais ou o bom e velho anúncio em revistas? Propaganda na TV ou Facebook? Panfletos ou Banners? Divulgar promoções por whats app? Fazer uma conta no Twitter e Instagram? Criar um blog institucional? 

Ufaaa!! Essas são apenas algumas das perguntas enlouquecedoras que vêm à mente quando pensamos em “propagandear” um negócio. Mas tenha calma que existe um remédio para essa confusão! O nome? Plano de marketing.

Construindo um plano

Para sair dessa névoa de indecisões e escolher as melhores alternativas de publicidade, propaganda e estratégias digitais, eu estabeleci alguns critérios e ações para embasar um plano de marketing. Esses critérios são elementares e, por isso, podem ser utilizados para todos os segmentos de negócio:

#1- Conhecendo o cliente

Seu público-alvo é composto por jovens conectados à internet ou consumidores da terceira idade que ainda preferem acompanhar as notícias na TV?   Antes de decidir-se sobre em quais táticas de marketing investir, trace o perfil de comportamento e estilo de vida do seu público, colocando-se no lugar de seus futuros clientes.

#2- Faça uma pesquisa de mercado

Você já sabe quais são as estratégias de marketing utilizadas pelos seus concorrentes? Se não, é hora de bancar o Sherlock Holmes e averiguar os “trajetos” percorridos pelas empresas do seu segmento, com o intuito de descobrir quais diferenciais podem tornar o seu negócio mais competitivo no mercado.

#3- Preste atenção às tendências e aos fatores externos

As estratégias de marketing atualizam-se de tempos em tempos, sobretudo as digitais, já que elas acompanham os avanços da tecnologia e as mudanças de comportamento dos consumidores. Não à toa, a cada ano surge uma nova tendência estratégica para atender as exigências de determinados perfis de público e oferecer melhores experiências de relacionamento entre uma empresa e seu consumidor.

#4- Considere o custo-benefício

Quem está abrindo uma micro empresa ou tentando lançar uma startup geralmente possui capital limitado. Portanto, é fundamental considerar o custo-benefício dos pacotes de publicidade e marketing digital disponibilizados por agências ou profissionais especializados.
E não estou falando apenas de um bom preço, mas também da qualidade dos serviços. Há agências que fazem somente o básico e não se comprometem com a efetividade final das ações, enquanto outras monitoram eventuais falhas e sugerem melhorias, contribuindo ativamente para o sucesso do negócio.

Mas, atenção: não pense que os resultados serão “instantâneos” como em um passe de mágica. Na verdade, a maioria das estratégias de marketing necessita de um longo período para trazer retornos em visibilidade e aumento em contatos e vendas, até mesmo quando se contrata uma agência expert no assunto. A lógica é simples: primeiro, o seu negócio precisa se tornar conhecido – e é claro que isso leva um tempinho! – para apenas depois engajar um promissor relacionamento com o público-alvo.

E mais: é essencial que sua estratégia seja analisada de tempos em tempos para tornar-se cada vez mais atual, criativa e diferenciada no mercado. Se esse trabalho for bem planejado, implementado de forma contínua e embasado em uma identidade visual que surpreenda seu público, incentivando-o a conhecer seus produtos ou serviços, sem dúvidas será possível alcançar excelentes resultados em longo prazo.

Considerando esses quatro tópicos, você facilmente conseguirá definir um plano de marketing e escolher as táticas mais adequadas para o seu segmento de negócio. Mas, lembre-se de que, cada empresa possui suas particularidades e, por isso, não existem “receitas prontas”...  Assim sendo, o ideal é adaptar esse escopo de planejamento à realidade do seu projeto, incluindo novos tópicos caso seja necessário.

Beijos e até a próxima!  

Nalu       

  • Compartilhe: